DESTAQUES NOTÍCIAS

O assédio sexual: conceito e as consequências para a saúde mental

Assédio consiste numa perseguição insistente e inconveniente que tem como alvo uma pessoa ou grupo específico, afetando a sua paz, dignidade e liberdade. Existem diferentes tipos de assédios, como o moral, sexual, psicológico, virtual, judicial, entre outros. No entanto, todos são baseados no princípio de perseguir e forçar alguém a fazer algo contra a sua vontade.

O assédio visa provocar o desconforto do assediado, sendo que este pode desenvolver sérios traumas como consequência deste tipo de violência. O assédio moral, por exemplo, consiste em uma conduta reiterada de forma abusiva, com o objetivo de desestruturar o indivíduo, atingindo seu pensamento, tem por eficácia o sentimento de exclusão no âmbito laboral e a vivência com seus amigos fora do trabalho.

A conduta abusiva e quando certas brincadeiras ultrapassam os limites onde até se pode tolerar, agindo com o abuso do direito e devendo ser contido por lei. A natureza psicológica, sendo chamado de terror psicológico por muitos autores, o que mais afeta o assediado, é a sua saúde mental, que a maioria das vezes chega a adquirir doenças como depressão e estresse, até chegar ao suicídio. E a finalidade de exclusão é como um dos principais elementos que mais dá destaque ao assédio moral. Pois com a junção dos demais pressupostos, dará a terminação do ato, com o fundamento de excluir o assediado do grupo em que o mesmo está vivenciando as situações desagradáveis.

Distinção do assédio moral para o assédio sexual e consequências

São de extrema importância que nós façamos as diferenças entre as duas figuras, assédio moral e assédio sexual. Em ambas as situações há um atentado contra a dignidade da pessoa humana, sendo que no assédio sexual e no moral está inserido o ato de cercar.

Contudo a principal distinção nas modalidades de assédio moral e sexual se encontra no objeto do bem jurídico a ser tutelado, enquanto que o assédio sexual é uma conduta negativa contra a liberdade sexual da pessoa, o assédio moral vem invadir o psíquico, ou seja, degrada a dignidade psíquica do ser humano.

As consequências psicológicas para meninas ou meninos que sofreram assédio sexual segundo uma pesquisa realizada no Núcleo Forense do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), são diferentes em meninos em relação a meninas. As jovens do sexo feminino podem desenvolver sequelas graves como distúrbios alimentares e hipersexualidade (o que pode levar à prostituição), mas mesmo assim se mantêm seguras quanto à sua opção sexual e à sua feminilidade.

Já nos adolescentes do sexo masculino, o assédio sexual na infância é capaz de conduzir ao déficit de memória e à distorção da realidade. Esse tipo de sequela também pode levá-los à prática de abuso sexual e estupro.

O assédio psicológico está cada vez mais evidente de que a violência física, ou seja, as formas predominantemente psicológicas de comportamentos agressivos, são mais frequentes do que os ataques físicos. Além disso, os estudos têm também mostrado que essa violência tem efeitos mais devastadores para os seus alvos do que a violência física.

Se o assédio é tão enraizado assim, o que fazer?

Denunciar, não aceitar que tal fenômeno ganhe dimensões destruidoras, por meio da conscientização de que está errado! Respaldado por lei, o assédio perderá forças e consequentemente fará menos vítimas, reduzindo os escores de doenças psicológicas em todas as áreas sociais do mundo em que habitamos.

NÃO SE CALE, DENUNCIE.