DESTAQUES SAÚDE

MÊS DE COMBATE AO CÂNCER RENAL Se detectada precocemente, no entanto, a doença tem até 90% de chance de cura

Março é o mês de conscientização do câncer renal, doença rara e silenciosa que na maioria dos casos é descoberta por acaso em exames de imagem como a ultrossonografia. Se detectada precocemente, no entanto, a doença tem até 90% de chance de cura;
Bruno Oliveira, oncologista clínico do Acreditar, clínica do Grupo Oncologia D’Or em Brasília, explica que o câncer renal pode ser restrito ao órgão ou, ainda, se espalhar para outras partes do corpo. A neoplasia também é conhecida como hipernefroma, representando cerca de 3% de todos os casos de tumores malignos em homens e mulheres. “O carcinoma de células claras é considerado o mais frequente, sendo responsável por até 85% dos casos”, diz.
O especialista ressalta a importância da prevenção. “Não há um exame específico para o rastreamento, mas há medidas muito eficazes para se combater os fatores de risco, como: não fumar, praticar atividades físicas regularmente, controlar o peso e a pressão arterial”, orienta.
Ficar atento ao próprio corpo também é uma forma de se prevenir, diz o especialista.   “Alterações urinárias, como perda de sangue ao urinar, além de dor lombar, são alguns dos destaques”, afirma Bruno Oliveira.
Novidades em tratamento
De acordo com o oncologista, o principal tratamento ainda é a cirurgia, seja por via aberta (laparotomia) ou cirurgia videolaparoscópica, porém, existem novas terapias como a crioterapia (destruição tumoral através do congelamento) ou a radiofrequência (que realiza o mesmo procedimento, mas com ondas de calor) que também possuem efeitos positivos. “Todos são métodos minimamente invasivos e realizados com a utilização de agulhas e indicados em situações especiais. A cirurgia robótica, ainda em expansão no Brasil, também é uma opção contra o câncer renal”, explica.
“A imunoterapia também é considerada uma alternativa importante contra a doença metastática. Além da eficácia já comprovada em estudos clínicos, ela ainda tem demonstrado ótimas taxas de respostas, que são mais duradouras e sustentáveis – mesmo após a interrupção do tratamento”, finaliza Bruno Oliveira.
#Seliguenossinais do câncer renal:
Nas fases iniciais, o câncer renal pode não apresentar sintomas, por isso muitas vezes o diagnóstico geralmente só é feito quando as lesões estão maiores. Quando há sintomas, os mais comuns são:
– Sangue na urina;
– Dores na lombar;
– Perda de peso;
– Cansaço;
– Febre ocasional.
Fatores de risco
Fumo: fumantes correm até três vezes mais risco de desenvolver a doença que não fumantes, pois as toxinas do cigarro caem na corrente sanguínea e chegam aos rins.
Obesidade: obesos possuem alterações hormonais que favorecem o surgimento da doença.
Hereditariedade: histórico de câncer renal na família aumenta a probabilidade de desenvolver a doença.
Síndromes genéticas: Algumas alterações genéticas estão associadas ao câncer renal, como a doença de Von Hippel-Lindau, responsável por cerca de 2% dos tumores desse tipo.