CRÔNICAS & VERSOS ENTRETENIMENTO QUADROS DO PROGRAMA

Madame Pinot Noir

Todos sabemos que se deve beber moderadamente, pois a bebida não dosada é causadora de muitos males, não só a nossa saúde como também a sociedade como um todo causando transtornos e acidentes. Uma das leis mais bem pensadas e colocadas em prática tem sido a chamada “lei seca” onde se o motorista for pego com teor alcoólico no sangue é multado e preso o carro, podendo perder a habilitação. Não é de hoje que vemos vários acidentes e mortes por alcoolismo!

Não obstante, as bebidas são nossas companheiras das festas, dos momentos de descontração, nos jantares, comemorações e amigas habituais nas residências salvaguardando o bom senso. Elas tem história! Não conseguimos pensar em um Inglês ou Irlandês sem o tradicional Whisky… como separar o samba e o carnaval da cervejinha e no final de semana dos churrascos?! Aliás a cerveja trás consigo uma história de 10 000 anos quando os sumérios descobriram acidentalmente que o pão molhado fermentava e passou a utilizar os grãos de cevada na fabricação dos pães e a cerveja passou a ser consumida como alimento como se fosse um “pão molhado”.

Especial é o vinho que tem lugar na cadeia alimentar e a ciência aprova o vinho tinto seco tomado moderadamente na prevenção de doenças cardio-vasculares, diminuindo o colesterol além do efeito anti-oxidante no organismo humano, sendo recomendado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Oferecer uma taça de vinho a uma mulher é como oferecer uma rosa. O vinho tem cor vermelha – rubi, aroma de frutas, sedoso e charmoso.

Quantas conquistas foram feitas após uma taça bem empregada e empolgada! Eu adoro vinho e bebo diariamente, saboreio cada tipo de uva da fermentação. Ora prefiro os mais secos e fortes tipo Cabernet sauvignon, ora as uvas mais adocicadas tipo Carménère e Merlot. Temos ainda as uvas Syrah, Chardonnay , Malbec e Pinot Noir, entre outras.

Em uma ocasião lá em casa, ofereci para a amiga de minha namorada um vinho tinto seco da uva Pinot Noir. Inicialmente ela, que era acostumada a tomar vinho suave ( doce) não quis aceitar, mais depois de algumas insistências e acompanhando os outros, ela provou e adorou e repetiu várias taças, acabando com o meu estoque! Nesta mesma noite, após término da reunião, a nossa amiga despediu-se com a voz um tanto arrastada (deve ter sido a ação do rei Baco) e saiu para encontrar o namorado.

Passado uns dias, em um outro encontro ela de braços a este namorado, paramos para conversar e ele logo me indagou: _ o que vocês deram a minha namorada naquele dia da reunião, pois ela chegou em casa e só sabia falar “Pinot Noir”?!… e continuou:_ eu estava com saudades e tentei namorá-la e abraçá-la e ela ficava olhando para o teto e me dizendo “Pinot Noir”… “Pinot Noir”… “Pinot Noir”!… _ eu não sei quem é este tal de Pinot Noir, mas não gostei, pois perguntava se ela estava com saudades de mim e ela me respondia: “só se for o Pinot Noir “…e perguntava se ela queria me beijar e ela me respondia novamente “só se for o Pinot Noir”… _ ela foi ao banheiro e ficou lá dentro falando sozinha: “adoro o Pinot Noir, adoro o Pinot Noir…” _depois voltando para a cama, se virou de costas e ficou meio dormindo e meio acordada, dizendo: “ quero mais do Pinot Noir, mais Pinot Noir…enche tudo de Pinot Noir…”.

Já com cara de raiva e de dúvidas, ele terminou nos dizendo que naquela noite saiu de casa muito chateado pelo ocorrido em dúvidas do amor dela por ele, tentando achar nas ruas da cidade quem era este forasteiro de nome estranho que havia seduzido sua namorada.

Terminando seu monólogo nos disse que o que o deixou mais aborrecido foi quando ele havia perguntado se a satisfazia como amante e ela sonolenta respondeu: “o Pinot Noir é melhor!…”

Eu já sem graça da situação mas rindo do desespero dele que não entendia que ela se referia ao vinho da uva Pinot Noir, ficava escutando as reclamações, e deixando o papo correr solto até que depois de algum tempo de angústia, expliquei que ela apenas se referia ao tipo de uva do vinho tomado em casa e que não havia nada de errado com o relacionamento dos dois.

Depois desta passagem, tenho evitado oferecer vinho às nossas amigas, com receio do efeito final. Tomei como “Impulso” apenas oferecer à minha própria namorada, que sei que

não me trocará pelo Sr. Pinot Noir!