DESTAQUES QUADROS DO PROGRAMA SAÚDE

Incontinência urinária afeta 10 milhões de brasileiros

Tipos, causas e tratamentos; conheça mais sobre o distúrbio que afeta 4 a cada dez mulheres idosas

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina. É um problema comum e que atinge mais de 10 milhões de brasileiros de todas as idades, mas pode gerar grande constrangimento e incômodo por parte de quem sofre com a condição. A gravidade varia de caso para caso. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia, as mulheres têm o dobro de chances de desenvolverem incontinência.

O principal fator de risco é a idade, já que a probabilidade de ter incontinência urinária aumenta com o passar dos anos. O gênero é outro fator determinante, uma vez que cerca de quatro a cada 10 mulheres de meia idade relatam sofrer com o problema e já os homens, entre um a três em cada 10 tem o distúrbio.

Outros fatores de risco são a raça, uma vez que mulheres brancas estão mais propensas à doença em comparação com afro-americanas e asiáticas, obesidade, já que o peso extra pressiona a bexiga e os músculos ao redor e outras doenças, como diabetes ou doenças neurológicas que aumentam o risco de incontinência.

 

PRINCIPAIS TIPOS

Incontinência urinária de esforço

Decorrente de um enfraquecimento nos ligamentos e músculos, a incontinência urinária de esforço acontece quando a pessoa não tem força muscular pélvica o bastante para reter a urina. É provável que ela terá perda de urina ao fazer atividades físicas, tossir, espirrar ou qualquer outra ação que põe a bexiga sob pressão. Ela acontece normalmente em homens e mulheres que sofreram algum tipo de lesão no esfíncter urinário.

Incontinência urinária de urgência

Esse tipo de incontinência acontece quando o desejo de urinar é súbito e tão forte, que a pessoa não consegue segurar até chegar ao banheiro. Pode acontecer mesmo se a bexiga não estiver cheia. A principal causa é a síndrome da bexiga hiperativa, que é a contração involuntária da bexiga e pode ser resultante de doenças neurológicas. Nesse caso, um componente psicossomático pode estar envolvido, como a depressão ou a ansiedade.

Incontinência urinária mista

Existem casos onde os sintomas de diferentes tipos de incontinência urinária se misturam, criando a incontinência mista.

 

CAUSAS

Existem diversos fatores que podem causar a incontinência urinária, podendo variar entre condições médicas facilmente tratadas ou problemas mais sérios. Confira alguns dos fatores:

  • Infecção do trato urinário;
  • Prisão de ventre;
  • Estresse emocional;
  • Aumento da próstata;
  • Histerectomia;
  • Câncer de próstata;
  • Distúrbios neurológicos como esclerose múltipla, doença de Parkinson, AVC, tumor cerebral ou uma lesão da coluna vertebral;
  • Depressão.

 

TRATAMENTO

O tratamento varia entre casos e depende do tipo de incontinência, a gravidade e os fatores subjacentes. No caso da incontinência urinária por esforço, o procedimento é pode ser basicamente cirúrgico, mas exercícios ajudam a reforçar a musculatura pélvica. A técnica cirúrgica mais utilizada se chama Sling e é utilizada para restabelecer e reforçar os ligamentos que sustentam a uretra através da aplicação de um suporte.

Já para a incontinência urinária de urgência, o tratamento é basicamente farmacológico e fisioterápico. Mas para um diagnóstico, é necessária uma equipe médica qualificada para determinar o passo-a-passo. Os médicos que tratam da condição são: clínico geral, urologista, ginecologista e geriatra.

Se a incontinência urinária faz parte da sua rotina, não deixe isso atrapalhar a vida, busque tratamento.

 

Por Lara Freitas

 

Fontes:

www.minhavida.com.br

www.marcelothiel.med.br