DATAS COMEMORATIVAS DESTAQUES SAÚDE

Dia Internacional da Síndrome de Down Dia importante para lembrar importância da luta pelos direitos iguais

No dia 21 de março comemoramos o Dia Internacional da Síndrome de Down. É celebrado em 21 de março(21/03), fazendo alusão aos 3 cromossomos no par número 21, característico das pessoas com Síndrome de Down. Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da luta pelos direitos igualitários, o seu bem-estar e a inclusão das pessoas com Down na sociedade.

Síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, é uma alteração genética causada por um erro na divisão celular durante a divisão embrionária. Os portadores da síndrome, em vez de dois cromossomos no par 21, possuem três. Não se sabe por que isso acontece.

As crianças, os jovens e os adultos com síndrome de Down podem ter algumas características semelhantes e estarem sujeitos a uma maior incidência de doenças, mas apresentam personalidades e características diferentes e únicas.

Resultado de imagem para SÍNDROME DE DOWN

São Características típicas nessa síndrome:

  • Olhos oblíquos semelhantes aos dos orientais, rosto arredondado, mãos menores com dedos mais curtos, prega palmar única e orelhas pequenas;
  • Hipotonia: diminuição do tônus muscular responsável pela línguaprotusa, dificuldades motoras, atraso na articulação da fala e, em 50% dos casos, cardiopatias;
  • Comprometimento intelectual e, consequentemente, aprendizagem mais lenta.

Estas características variam entre os portadores. Podem apresentar várias ao mesmo tempo ou muito poucas. A intensidade também varia. Normalmente os indivíduos são de baixa estatura e quase 40% dos casos possuem problemas cardíacos como defeitos no septo interventricular e no coxim endocárdico. As cardiopatias são as principais causas de morte em crianças com Síndrome de Down.
Apresentam também malformações no trato gastrintestinal, perdas auditivas e apresentam características da doença de Alzheimer.

Como é feito o diagnóstico

Durante o pré-natal na gestação, o ultrassom morfológico fetal para avaliar a translucência nucal pode sugerir a presença da síndrome, que só é confirmada pelos exames de amniocentese e amostra do vilo corial.

Depois do nascimento, o diagnóstico clínico de síndrome de Down é comprovado pelo exame do cariótipo (estudo dos cromossomos), que também ajuda a determinar o risco, em geral baixo, de recorrência da alteração em outros filhos do casal. Esse risco aumenta, quando a mãe tem mais de 40 anos.

Resultado de imagem para SÍNDROME DE DOWN

Tratamento

Crianças com síndrome de Dowm precisam ser estimuladas desde o nascimento, para que sejam capazes de vencer as limitações que essa alteração genética lhes impõe. Como têm necessidades específicas de saúde e aprendizagem, exigem assistência profissional multidisciplinar e atenção permanente dos pais. O objetivo deve ser sempre habilitá-las para o convívio e a participação social.

É muito importante salientar que a síndrome de Down não é uma doença, e sim uma condição da pessoa associada a algumas questões para as quais os pais devem estar atentos desde o nascimento da criança.